Universidade submerge servidores e reduz custos de refrigeração em 97%

Thaylan Melo | 17:11 | 0 comentários


A Universidade de Leeds, na Inglaterra, inovou ao adotar um novo método de refrigeração para seus servidores. A instituição resolveu colocá-los em um meio líquido para que a temperatura das máquinas se mantenha controlada. O resultado é uma economia de 97% na conta de luz, algo considerável.
Ideia simplifica gerenciamento de grandes datacenters (Foto: Reprodução)Ideia simplifica gerenciamento de grandes datacenters (Foto: Reprodução)
O “computador molhado” foi desenvolvido pela Iceotope e ganhou o nome de Iceotope Platform. Os técnicos em Leeds usaram um líquido especial, conhecido como 3M Novec, cuja principal característica do material é a não condutibilidade de eletricidade e seu pouco potencial corrosivo, quando comparado à água.
Cada rack dos servidores contém o hardware convencional, mas completamente envolvido com o líquido refrigerante. Como no radiador do automóvel, o 3M Novec é movido pela ação de bombas elétricas, impedindo que ele sobreaqueça ao ficar muito tempo concentrado em um servidor. Em vez de apostar num enorme, caro e complexo sistema de condicionamento de ar, que consome muita eletricidade, Leeds poupa 97% desses custos ao manter as bombas, bastante simples, ligadas.
O resultado é que, agora, é possível imaginar a construção e gerenciamento eficiente de energia em servidores mesmo em lugares quentes. Ultimamente, a crescente demanda por grandes datacenters por conta do crescimento da Internet e da ideia de armazenamento de dados na nuvem, tem levado a construção dessas unidades em lugares bem frios, como a Escandinávia e até mesmo no Ártico.
Via Geek

Category:

0 comentários