Sete smartphones Android para todos os gostos

Thaylan Melo | 11:19 | 0 comentários


  • Quer um aparelho com o sistema da Google, mas não sabe qual escolher em meio a tantos modelos? Dê uma olhada nestas nossas sugestões



“Quero um smartphone mas não sei qual comprar, me ajudem!”. Vocês nos fazem essa pergunta todos os dias, seja via e-mail, Twitter, nos comentários de matérias em nosso site ou em nossos vídeos no YouTube. E com a chegada do período de compras no fim do ano, estão perguntando cada vez mais.
Pois vamos ajudar com esta listinha de recomendações. São aparelhos que já passaram por nossas mãos e que, mesmo em meio a dezenas de concorrentes e um mercado que muda a cada seis meses, deixaram sua marca. É claro que não são as únicas opções mas, em nossa opinião, são aqueles que você pode comprar sem medo de se arrepender.
Temos ao todo sete aparelhos Android em várias faixas de preço, assim você não vai precisar sacrificar o presente da tia para conseguir o smartphone que tanto quer. Falando em preços, os mencionados são a média de mercado no momento em que esta matéria foi escrita, e levam em consideração o preço “cheio” (ou “pré-pago”), sem subsídio com um plano de uma operadora. Clique sobre o nome de cada aparelho para ler um review completo.
Quer o melhor dos melhores? Vá de Galaxy S III e RAZR HD
Se o preço não importa e você faz questão do melhor, tem duas ótimas opções: o Samsung Galaxy S III(R$ 1.800), que chegou ao Brasil no início de junho, e o Motorola RAZR HD (R$ 1.500), que desembarcou por aqui no final de setembro.
O Galaxy S III é um dos smartphones Android mais poderosos que já passaram por nossas mãos, e o parâmetro contra o qual todos os outros aparelhos são comparados. Tem um processador quad-core de 1.4 GHz, 16 GB de memória interna (expansível com cartões microSD), uma belíssima tela de 4.8” com resolução HD e uma câmera de 8 MP que faz belas fotos. É ótimo em qualquer tarefa, de simples navegação na web aos jogos mais sofisticados. 
gsiii_branco_azul-360px.jpg
Samsung Galaxy S III nas cores branca e "azul"
Já o RAZR HD é o primeiro smartphone no mercado nacional compatível com redes 4G, embora elas ainda não estejam em operação comercial. Tem uma tela de 4.7” também com resolução HD, câmera de 8 MP e 16 GB de memória interna (expansível com cartões microSD). Seu processador dual-core de 1.5 GHz não é, no papel, tão poderoso quanto o do Galaxy S III, mas a diferença nas tarefas do dia-a-dia, incluindo jogos sofisticados, é imperceptível. Seu principal destaque é a autonomia de bateria: a Motorola promete “o dia inteiro” e cumpre: conseguimos uma média de 19 horas e meia com uma carga em uso típico.
razrhd_speedtest-360px.jpg
RAZR HD: o primeiro preparado para as novas redes 4G
Para o dia-a-dia, uma boa pedida é o RAZR i
Poderoso, equilibrado e com um preço bastante atraente, o Motorola RAZR i (R$ 1.200) é nossa recomendação para quem procura um aparelho que aguente todas as demandas do dia-a-dia sem gastar muito. O processador Intel Atom single-core de 2 GHz tem desempenho equivalente aos processadores ARM dual-core de 1.2 GHz em aparelhos como o Galaxy S II, RAZR e Galaxy X.
razri_frente_verso-360px.jpg
Motorola RAZR i: bom desempenho e boa autonomia de bateria
A memória interna é de 8 GB, expansível com cartões microSD, e no geral a câmera de 8 MP faz boas fotos, embora sofra com uma perda de nitidez em ambientes pouco iluminados. A tela tem o mesmo tamanho (4.3”) e resolução (540 x 960 pixels) da tela do Motorola RAZR ou RAZR MAXX, mas graças a um design inteligente, com bordas finas, o aparelho é muito menor, com um tamanho similar aos equipados com telas de 4” como o Galaxy S II Lite. O tamanho compacto, aliado ao chassis em alumínio, passa uma sensação de solidez. E a autonomia de bateria é muito boa, cerca de 17 horas de uso típico.
Galaxy S II Lite e Xperia P tem preço acessível
Se você não quer ou não pode gastar muito, nossa recomendação é o Samsung Galaxy S II Lite (R$ 900). O “irmão menor” do carro-chefe da Samsung no ano passado economiza em alguns pontos como o tamanho da tela (4”, em vez de 4.3”), processador (dual-core 1.0 GHz, em vez de 1.2 GHz) e câmera (5 MP, em vez de 8 MP), mas ainda assim tem bom desempenho e ótimos recursos, numa faixa de preço que antes era ocupada por aparelhos bastante inferiores. 
gs2_lite_frente-360px.jpg
Galaxy S II Lite: bom recursos e preço acessível
Um aparelho similar é o Sony Xperia P (R$ 900), que tem o mesmo processador do Galaxy S II Lite, mas uma câmera melhor (8 MP), tela com resolução mais alta (540x960 pixels) e uma saída HDMI nativa. Mas há alguns detalhes que podem incomodar alguns usuários: não há entrada para cartões microSD (mas há 16 GB de memória interna), a bateria é fixa e a autonomia deixou um pouco a desejar. 
xperias_geral-360px.jpg
Xperia P: preço similar ao do Galaxy S II e mais poderoso, mas bateria deixa a desejar
RAZR MAXX e Huawei Honor tem bateria para ir longe
Você pode ter o smartphone mais poderoso do mundo, mas com uma bateria descarregada ele não passa de um peso de papel. E no quesito bateria, dois aparelhos nos surpreenderam: o Motorola RAZR MAXX (R$ 1.200) e o Huawei Honor (R$ 899).
razrmaxx_frente-360px.jpg
RAZR MAXX: um RAZR com bateria (bem) maior
O RAZR MAXX é basicamente o Motorola RAZR, lançado em dezembro de 2011, com uma imensa bateria de 3.300 mAh. Não é o aparelho mais poderoso do mercado (está no mesmo nível do Galaxy S II e RAZR i), mas com certeza é um dos que tem a maior autonomia: chegamos a passar de 18 horas em um dia com uso intenso do 3G. Nas mãos de um usuário típico, é o suficiente para durar o dia inteiro, e ainda sobrar um pouco para a manhã seguinte.
Já o Huawei Honor chegou a 16 horas de autonomia sob uso intenso, mas surpreendeu em um fim de semana com mais de 31 horas de uso leve. Quando em espera, sobre a mesa, ele consome quase nada de bateria. Mais surpreendente é ver essa autonomia em um aparelho na faixa dos R$ 900.
honor_frente_lado-360px.jpg
Huawei Honor: baixo custo e grande autonomia
Android ou iPhone?
A “briga” Android vs. iPhone é mais uma questão de gosto pessoal do que de hardware, e em ambos os lados há aparelhos excepcionais. Entre os Android há uma variedade muito maior, por causa do número maior de fabricantes, o que leva também a uma competição que torna os preços acessíveis. Quer um smartphone com TV? Dual-Chip? Com 4G? Com uma tela enorme? Com uma câmera de 12 MP? Tudo isso está disponível entre os modelos com o sistema da Google.
Já no caso do iPhone suas escolhas se limitam ao modelo deste ano (iPhone 5) e os dos anos anteriores (4S e 4). Onde o aparelho da Apple brilha é no ecossistema: os apps “da moda”, especialmente jogos, costumam surgir primeiro na plataforma da Apple e a oferta de acessórios, de capinhas a docks com caixas de som, é muito maior. E as atualizações de sistema são rápidas e garantidas (geralmente por dois anos), sem a agonia da espera comum entre os usuários de Android. Por outro lado, os preços são mais altos.
Nossa dica é: antes de se decidir por uma plataforma, defina quanto pode gastar e o que espera de seu aparelho. Depois vá a uma loja, experimente ambas e fique com a que mais lhe agrada. 
Vai atualizar?
A pergunta que mais ouvimos quando falamos de um novo smartphone Android é “vai atualizar para a versão X?”. A atualização é realmente um ponto fraco: a Google apenas desenvolve o sistema, e fica a cargo dos fabricantes decidir quais de seus aparelhos serão atualizados, quando e como.
Geralmente o processo demora, e o rápido ciclo de desenvolvimento do sistema (com uma nova versão a cada seis meses) gera situações como aparelhos que são atualizados para o Android 4.0 às vésperas do lançamento da versão 4.2 (duas gerações à frente). Contraste com o iOS, da Apple: novas versões estão disponíveis em todos os aparelhos suportados ao mesmo tempo.
A nossa dica é nunca comprar nenhum smartphone Android contando com uma promessa de atualização. Assim você não irá passar meses recarregando a página do fabricante ou vasculhando fóruns em busca de novidades e não ficará frustrado se uma atualização prometida nunca for lançada (como já aconteceu antes). Compre o aparelho se ele lhe atende como é hoje. Se ele for mesmo atualizado, será uma grata surpresa.
Mas se você faz questão de ter sempre à mão a versão mais recente do sistema operacional, tem uma opção: os aparelhos da linha Nexus, da Google. Eles são criados como “garotos propaganda” do Android e plataforma de desenvolvimento, e sempre são os primeiros a receber atualizações. Geralmente a Google atualiza um Nexus por cerca de dois anos após o seu lançamento, embora não haja uma garantia “por escrito”.
galaxynexus_geral-360px.jpg
Galaxy Nexus: atualizações de sistema garantidas
Atualmente a família Nexus conta com um smartphone, o Nexus 4, e dois tablets, o Nexus 7 e o Nexus 10, todos lançados neste ano. O smartphone anterior na linha, o Galaxy Nexus (Galaxy X no Brasil, R$ 1.500) ainda pode ser encontrado nas lojas. Todos rodam o Android 4.2 “Jelly Bean”, anunciado em outubro deste ano.

via Pc World

Category: , , ,

0 comentários