The War Z, conheça o polêmico game cercado de mentiras e enganações

Thaylan Melo | 11:02 | 0 comentários


The War Z é um polêmico game para PC lançado e produzido pelo estúdio Hammerpoint Interactive. Mas ele não é polêmico apenas por ser violento ou coisa do tipo, e sim por outros motivos mais infelizes, seja para o lado dos jogadores ou para o lado da própria companhia que o produziu.
The War Z era um título que tinha tudo para dar certo (Foto: Divulgação)The War Z era um título que tinha tudo para dar certo (Foto: Divulgação)
O game já começa com polêmica por conta do nome. The War Z lembra bastante Day Z, outro jogo similar e que foi anunciado antes. Acontece que Day Z é um jogo que nasceu a partir de uma famosa modificação do game de tiro ARMA. Nesta modificação os jogadores controlam personagens em um mundo repleto de zumbis e com possibilidades de cooperação via modo online.
A modificação de ARMA ficou tão popular que os criadores resolveram transformar em um jogo separado, chamado de Day Z e que ainda está em produção. Poucos dias após o anúncio de Day Z, o estúdio Hammerpoint Interactive “saiu de sua toca” para anunciar The War Z. Segundo o estúdio, The War Z não era uma mera cópia de Day Z, já que sua produção foi iniciada tempos antes.
Day Z teria inspirado a produção de The War Z (Foto: Divulgação)Day Z teria inspirado a produção de The War Z (Foto: Divulgação)
Um mundo aberto com zumbis
Até aí tudo bem, já que diversos fãs de zumbis começaram a jogar The War Z durante sua fase “beta”, ou seja, fase de testes. Alguns poucos convidados tiveram a oportunidade de testar o game e ver que se tratava de um jogo de tiro com mundo aberto, onde os jogadores poderiam matar zumbis ou até mesmo personagens de outros jogadores.
O funcionamento geral de The War Z é bem parecido com o que foi visto na modificação de ARMA e também nos primeiros testes de Day Z. Sua câmera é em terceira pessoa e o jogador controla um personagem sobrevivente, que tem acesso a diversas armas de fogo para conter a ameaça de mortos-vivos.
A ordem em The War Z é matar zumbis (Foto: Divulgação)A ordem em The War Z é matar zumbis (Foto: Divulgação)
Até em termos gráficos os dois jogos eram bem parecidos, com mortos-vivos que respeitam o “design padrão” destas criaturas e personagens de jogador “normais”, com vestimentas que variam entre militares e pessoas comuns. Apesar da supostas semelhanças, The War Z parecia ser um game divertido e curioso, com boas características próprias.
Possibilidades mil
Uma das principais promessas do jogo era de ser gratuito. Qualquer um poderia jogar e gastar apenas com benefícios que podem ser comprados mais tarde na loja online do game. Outra boa novidade é que, supostamente, o jogo não tem sistema de nível ou de classes, deixando todos os jogadores equilibrados e assim facilitando o acesso de qualquer um.
Servidor com suporte para até 100 jogadores era outra promessa da produtora, além de dois modos (Normal e Hardcore). Apesar de ser primordialmente em terceira pessoa, também teríamos a possibilidade de jogar com câmera em primeira pessoa, o que deveria agradar “gregos e troianos”.
A diversão principal ficaria na parte dos modos PVP e PVE, que significam Jogador contra Jogador e Jogador contra Ambiente. Este, por si só, é um sistema atraente na maioria dos jogos online e massivos, e em The War Z não seria diferente, ainda mais com um sistema de criação de clãs, o que deveria deixar as disputas ainda mais acirradas.
Os Sobreviventes de The War Z (Foto: Divulgação)Os Sobreviventes de The War Z (Foto: Divulgação)
O problema de The War Z é que, apesar das boas promessas, o jogo acabou decepcionando quando foi lançado, em meados de dezembro, com muita coisa faltando e com promessas quebradas.
Acusações contra o jogo
A polêmica começou já no lançamento, já que não era possível jogar gratuitamente, como prometido. O jogo estava sendo vendido no Steam, serviço de distribuição digital da Valve, por preços que variavam entre R$ 22 e R$ 50. Segundo a produtora, o valor seria convertido em pacotes de benefícios, mas ainda assim não era possível jogar sem pagar nada.
Outro problema veio logo depois que os jogadores começaram a explorar o game – e assim descobriram que elementos que estavam na descrição do jogo não estavam presentes. Por exemplo, o mundo do game comportava apenas 50 jogadores, e não 100, como era prometido. Não havia também a presença de um modo “Hardcore”, supostamente mais difícil, apenas o “Normal”.
War Z teria copiado arte de The Walking Dead (Foto: Reprodução)War Z teria copiado arte de The Walking Dead (Foto: Reprodução)
O que mais revoltou os jogadores, porém, foi o sistema de “respawn” do jogo, onde o personagem renasce logo após sua morte, como na maioria dos games de tiro. Em The War Z a produtora embutiu um sistema que, para renascer, o jogador deveria pagar uma pequena taxa com dinheiro real – mesmo que tenha comprado o game pelos preços anunciados.
As reclamações foram tantas e mais diversas – isso sem falar nas acusações de “plágio” frente a Day Z -, que o jogo foi removido da loja do Steam. Os jogadores alegavam que o game não estava pronto e sim em estado “Alpha”, ou seja, nos períodos iniciais de produção, sem passar por qualquer teste de qualidade e de eliminação de bugs.
A Valve, dona do Steam, chegou a oferecer reembolsos para quem comprou o jogo, mas permitiu que aqueles que já compraram permanecer com o game e assim poder continuar testando o produto.
Plágio, enganação e mais bugs
As acusações de plágio contra o jogo vão além da comparação entre The War Z e Day Z. Jogadores notaram que nas propagandas do game diversas imagens foram retiradas do seriado The Walking Dead, sem a devida autorização dos criadores, e apenas levemente modificadas.
Outra informação que caiu na rede é que o jogo, na verdade, não foi feito do zero. A produtora teria engavetado um outro game de tiro que estava em produção, chamado de War Inc., para utilizar todos os seus recursos em The War Z. Assim não precisariam gastar muito tempo começando um jogo do zero e sim transformando outro game neste novo, sem muito trabalho.
War Z prometia belos gráficos e diversão (Foto: Reprodução)War Z prometia belos gráficos e diversão (Foto: Reprodução)
O descontentamento de jogadores e imprensa especializada que acompanhou o caso é tão grande que dificilmente The War Z vai se recuperar desta má fama gerada nas últimas semanas. Apesar de, teoricamente, ser um jogo que preza pelo divertimento, a impressão que passou é que a produtora quis acabá-lo rápido para pegar carona no sucesso de Day Z e outras produções de zumbi, como o premiado game de The Walking Dead.
Para finalizar, o jogo pode acabar tendo que mudar de nome, então não estranhe se você não encontrar por aí o nome “The War Z”. Acontece que o estúdio cinematográfico Paramount Pictures reclamou da similaridade entre o nome do jogo e um dos seus próximos filmes, chamado de World War Z, baseado em um livro com o mesmo nome, registrado bem antes do nome do jogo.
Via Tech Tudo

Category: ,

0 comentários