O que você deve saber para comprar uma multifuncional sem errar

Thaylan Melo | 15:09 | 0 comentários


Eles imprimem, digitalizam, copiam e passam fax. Saiba o que levar em conta na hora de escolher um modelo a laser ou a jato de tinta.

Escritório 
O primeiro item a ser questionado é o volume de impressão por mês. Há modelos que suportam apenas pequenas cargas de trabalho. Portanto, não adianta economizar na compra e depois gastar na manutenção.
Para um pequeno escritório, procure modelos que suportem ao menos 5.000 páginas por mês. E lembre-se de escolher um modelo que possa ser ligado em rede. É bem melhor conectar o multifuncional direto desse modo do que compartilhá-lo em um computador.

Quanto à tecnologia, já existem modelos a jato de tinta que suportam essa carga de trabalho e podem ser ligados em rede. Para saber qual escolher, leve em consideração o tipo de trabalho. Escritórios de advocacia ou de contabilidade podem escolher um modelo a laser monocromática para a maior parte das impressões.

Caso necessitem de cores, uma impressora menor e mais barata pode ser alocada apenas para trabalhos específicos. A laser utiliza toner, cuja autonomia dependerá do modelo escolhido. Há produtos com autonomia de mil páginas até modelos que chegam a 3 mil páginas.
Para formar a imagem, a laser utiliza outro consumível, chamado cilindro fotocondutor, que tem vida útil entre 10 mil e 50 mil páginas impressas. Já as impressoras a jato de tinta de alto ciclo de trabalho possuem cartuchos coloridos e um na cor preta, que duram cerca de 700 páginas cada um, bem mais que impressoras para uso doméstico.

Mas como saber a melhor opção? A melhor solução é fazer a conta do custo por página. Para jato de tinta, basta dividir o preço do cartucho pela autonomia. Lembre-se que você tem um consumível preto e os coloridos.

Para saber só o custo da impressão monocromática, divida o preço do preto pela autonomia. Idem para o colorido. No caso da laser, o processo é o mesmo, mas deve-se repetir a mesma conta para o cilindro fotocondutor e, então, somar-se os dois valores, obtendo assim o custo por página.

A parte de custos já está ok, mas e a velocidade? Geralmente as lasers ainda estão à frente nesse quesito. Entretanto, alguns modelos de jato de tinta já chegam à velocidade de 25 páginas por minuto, o que não é nada mau para essa tecnologia.
Quanto à cópia e digitalização, os modelos não se diferenciam. As resoluções variam entre 300 a 1200 pontos por polegada (dpi) e aceitam tamanhos de papel ofício, no máximo.

Uso doméstico 
Todas as instruções de cálculo de custos já ditas valem para o usuário doméstico. Mas algumas particularidades devem ser ressaltadas para o usuário doméstico: é muito provável que não seja necessário um modelo de alto ciclo mensal, nem um modelo a laser.
Equipamentos mais modestos já servem bem para imprimir e copiar documentos em casa, onde o usuário costuma ter grande volume.

Agora, se você vai imprimir muitas fotos, escolha um modelo com cartuchos de tinta que vem com unidades distintas para cada cor (magenta, ciano e amarelo). O motivo é que uma cor pode acabar primeiro que outra e você só substituir aquele cartucho. Assim você economiza.
Há modelos que também vêm com leitores de cartão podem imprimir provas das fotos que estão na mídia.

Quanto à velocidade, escolha modelos que variam entre 8 e 12 páginas por minuto, o suficiente para os trabalhos de casa. Acima disso, o custo da impressora e dos cartuchos começa a pesar no orçamento doméstico. Seguindo tais dicas, você evita dores de cabeça e investe certo para o seu tipo de trabalho de impressão.

Category:

0 comentários