AMD lança processador ARM para servidores

Thaylan Melo | 12:56 | 0 comentários

Seattle' é baseado na arquitetura presente em 90% dos smartphones e tablets do mundo

Reprodução
AMD
AMD anunciou seu primeiro processador ARM. O novo chip, de condinome 'Seattle', é baseado na arquitetura presente em 90% dos smartphones e tablets do mundo.

Porém, diferente do que se imaginava, o chip será destinado para servidores, que pedem mais economia de energia, assim como os dispositivos móveis.

O processador terá os núcleos mais rápidos da ARM, o Cortex-A57, e o desempenho será de 2 a 4 vezes melhor do que o Opteron X-Serie, produzido para micro-servidores.

A novidade poderá ser encontrada em diversas versões, começando com uma opção de oito e dezesseis núcleos, todos rodando a 2 GHz ou mais. O 'Seattle' estará disponível no segundo semestre de 2014, segundo o Wall Street Journal.

Sobre a ARM

Desde o ‘boom’ do setor de mobilidade a ARM vem acompanhando os principais lançamentos do mercado. A companhia está por trás de mais de 90% dos smartphones e tablets do mundo. Tudo isso gracas ao seu modelo de negócio, pelo qual a companhia britânica licencia o design de seus processadores para fabricantes.
Diferentemente das tradicionais produtoras de chips, como a Intel, a ARM se concentra em desenvolver arquiteturas e vender sua propriedade intelectual para outras empresas. A companhia vive de royalties, o que garante um bom faturamento mesmo em tempos de estiagem.
O setor menos representativo para a companhia ainda é o de PCs, dominado com folga pela Intel. Nesta disputa, no entanto, a companhia deu um passo significativo depois que a Microsoft lançou o Windows RT com um chip baseado em sua arquitetura - algo inédito na história da Microsoft.
Com isso, surgiram planos ambiciosos para o mercado de PCs. O vice-presidente executivo da companhia, Ian Drew, afirmou no fim do ano passado que a empresa quer conquistar 10% do mercado de chips de computadores pessoais em 2013.
A 'guerra dos chips' esquentou no ano passado, quando ARM e Intel começaram a competir na conquista do mercado alheio. Enquanto a britânica trabalha com o Google (Chromebook) e Microsoft, a Intel aumenta sua atuação no mundo dos smartphones por meio de parcerias com seis fabricantes que possuem em seus modelos o processador Atom.
No entanto, com o lançamento de chips ARM para servidores, que têm como objetivo diminuir consumo de energia, tamanho e preço, a europeia pode abocanhar mais um mercado cheio de oportunidades.

via olhar digital

Category:

0 comentários