Como mudar seu tipo de conta no LinkedIn

Thaylan Melo | 23:02 | 0 comentários

Quem deseja ter mais de recursos disponíveis no LinkedIn, pode optar pelas contas premium. O serviço pode ser pago de duas formas: em mensalidades ou taxas anuais. Seja para usuários comuns ou para empresas, há uma variedade de planos que podem ser úteis para cada tipo de público. Confira o tutorial do TechTudo.
Passo 1. Na tela principal, lá em cima, perto do nome “LinkedIn”, note que há a opção “Tipo de conta”, que por padrão é a “Basic”. Cilque em “fazer upgrade” para ser levado aos planos, com seus detalhes de recursos e também valores.
Conta básica é o padrão, mas pode ser alterada (Foto: Reprodução/Thiago Barros)Conta básica é o padrão, mas pode ser alterada (Foto: Reprodução/Thiago Barros)
Passo 2. A primeira opção de conta premium é a Linkedin Premium: “encontre e entre em contato com as pessoas certas”. Há três categorias diferentes: business, business plus e executive, custando R$ 39,95, R$ 69,95 e R$ 121,95 mensais respectivamente, contratando-os nos planos anuais.
Conta Premium tem preços a partir de R$ 39,95 mensais (Foto: Reprodução/Thiago Barros)Conta Premium tem preços a partir de R$ 39,95 mensais (Foto: Reprodução/Thiago Barros)
As diferenças são simples e estão no número de visualizações de perfil, nas opções de edição de perfis e no alcance das pesquisas. Um recurso interessante é a pesquisa de referências, que permite que o usuário busque informações sobre uma pessoa com os outros contatos do LinkedIn.
Passo 3. Para quem está no LinkedIn em busca de talentos, as contas Recrutadores são as mais indicadas. Também há três planos diferentes: o Talent Basic, por R$ 69,95, Talent Finder, por R$ 129,95 e Talent Pro, por R$ 699,95 (valores mensais em um plano anual). As diferenças entre eles também são mínimas, porém, relevantes.
Conta para recrutador tem benefício diferente (Foto: Reprodução/Thiago Barros)Conta para recrutador tem benefício diferente (Foto: Reprodução/Thiago Barros)
As visualizações de perfil e pesquisas premium são ilimitadas em todos. No entanto, a visibilidade completa da rede é só para quem assina os planos Talent Finder ou Talent Pro. Os dois últimos também têm direto a mais mensagens de InMail: 25 e 50 por mês, respectivamente, contra somente 10 do Talent Basic.
Passo 4. Se você está procurando empregos e quer uma ajudinha do LinkedIn, talvez valha o plano Job Seeker, que pode ser Basic (R$ 32,95 mensais), comum (R$ 48,95 mensais) ou Plus (R$ 80,95 mensais). Em todos, há benefícios bem legais para o usuário que precisa se destacar no LinkedIn.
Caçar empregos no LinkedIn fica mais fácil com esta conta (Foto: Reprodução/Thiago Barros)Caçar empregos no LinkedIn fica mais fácil com esta conta (Foto: Reprodução/Thiago Barros)
Eles ficam no topo da lista de candidaturas, têm um crachá premium para chamar mais atenção e podem visualizar a lista de todas as pessoas que visualizaram seu perfil. A única diferença é no número de mensagens InMail, ou seja, para qualquer pessoa: cinco mensais no Job Seeker e 10 para Job Seeker Plus.
Passo 5. O último tipo de conta premium é para os profissionais de vendas, que podem se beneficiar de funcionalidades como alertas de vendas, gerenciamento de pipeline para fechar negócios, apresentações a contatos internos de empresas, além do que os outros perfis oferecem: pesquisas premium, visualização de quem lhe visitou e etc.
É possível fazer conta para o LinkedIn lhe auxiliar nas vendas (Foto: Reprodução/Thiago Barros)É possível fazer conta para o LinkedIn lhe auxiliar nas vendas (Foto: Reprodução/Thiago Barros)
O valor mais barato, para conta Sales Basic, é de R$ 25,95. O plano Sales Plus custa R$ 64,95. O mais caro é o Sales Executive, que sai por R$ 121, 95. O que muda de um para outro são os alertas de vendas (cinco, sete e 10 por semana), apresentações (15, 25 e 35) e mensagens de InMail (0, 10 e 25 por mês) para cada usuário.
via tech tudo

Category: , ,

0 comentários