Entenda o registro de sites e a diferença entre '.com' e '.org'

Thaylan Melo | 18:23 | 0 comentários

O registro de sites é a forma encontrada para facilitar a identificação de diferentes páginas na Internet. Não é a toa que usamos o termo “endereço”, já que o processo é análogo, por exemplo, ao de um carteiro tentando achar uma residência.
Para entender como o registro funciona – e por que ele é necessário – é preciso saber que para um dos requisitos para que um website seja exibido é a comunicação entre dois computadores. Quando você digita um endereço no navegador, está ordenando ao software que entre em contato com outro equipamento e requisite as informações necessárias.
Domínios são usados para facilitar a localização de conteúdo na Internet (foto: Divulgação)Domínios são usados para facilitar a localização de conteúdo na Internet (Foto: Reprodução/Google Plus)
Acontece que esta troca de dados, assim como todas as outras feitas entre dois computadores, só acontecem por números. Todas as letras que você digita ou lê são traduções feitas para que a sua máquina entenda melhor o que você quer dizer. Quando um computador se conecta à Internet, o provedor do serviço dá a ele um número de identificação, que é o que chamamos de IP (Internet Protocol). E são estes números que permitem que um computador entre em contato com outro.
Há cerca de vinte anos, quando a Internet começou a crescer, os pesquisadores perceberam que entrar em sites digitando sequências de números seria um problema, já que é difícil lembrar de várias combinações. A solução encontrada foi criar o sistema de registros, que dá um nome para um site  - e é mais fácil de lembrar.
Para o usuário, este nome é a principal porta de acesso a um determinado local, mas para os computadores, ele funciona como uma espécie de apelido. Quando você digita um endereço, o navegador identifica o endereço IP e entra em contato com o servidor.
A administração dos endereços – chamados domínios – é cuidada pelo ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers– Corporação da Internet para Nomes e Números Atribuídos), uma ONG privada criada em 1998. O instituto é responsável por coordenar os sistemas de identificadores da Internet e garantir sua operação. No Brasil, estas atribuições são do Comitê Gestor da Internet (CGI), que cuida dos domínios ".br" através do site registro.br.
Os nomes domínios não são separados por pontos à toa. Cada parte deles serve para identificar um aspecto do websiteNa página do TechTudo, por exemplo, o ".com" serve para identificar o tipo de domínio registrado – comercial, neste caso – e é conhecido como TLD (Top Level Domain – domínio de topo). Já o ".br" é chamado de código de país, e serve, como o nome diz, para identificar o local onde o site opera. O endereço www.techtudo.com.br, por exemplo, identifica o nome do domínio e o "www", embora não seja obrigatório, é uma prática remanescente dos primórdios da Internet. A sequência começou a ser usada para identificar que o conteúdo a ser acessado era, de fato, uma página da World Wide Web e não outro serviço, como FTP.
TLDs identificam o tipo de site acessado (foto: Divulgação)TLDs identificam o tipo de site acessado
(Foto: Reprodução/Business Time)
Os tipos de TLD também variam e cada um tem significado diferente. Os mais comuns são ".com" e ".net", que representam um domínio comercial, ".org" para atividades de ONGs sem fins lucrativos e ".gov", que identifica websites do governo. O CGI admite também outros nomes de domínio, como "ind.br" (para indústrias), "edu.br" (para entidades de ensino superior) e "mil.br" (para sites militares).
Os diferentes TLDs possuem requisitos variados para serem registrados. Alguns são limitados para pessoas físicas, outros para jurídicas e outros também precisam de documentações específicas. O "gov.br", por exemplo, exige a comprovação de que o órgão é realmente vinculado ao governo, enquanto o "mil.br" precisa de autorização do Ministério da Defesa.
via tech tudo

Category: , ,

0 comentários